terça-feira, 26 de maio de 2009

A subida do Olhanense

A equipa de Jorge Costa apenas garantia a subida em caso de vitória (U. Leiria e Santa Clara também venceram) e o golo que permitiu que a festa fosse feita já hoje pelos algarvios surgiu a 14 minutos do final, por intermédio de Toe, quando a equipa de Olhão se encontrava reduzida a 10 jogadores.No final do encontro, o relvado do estádio do Gondomar pintou-se de vermelho e preto. Jogadores e dirigentes do clube algarvio iniciaram a festa que já se alastra por toda a cidade de Olhão. Jorge Costa, treinador do Olhanense, atribuiu o mérito da subida “principalmente aos jogadores”, que “em todos os campos” mostraram “uma filosofia de jogo” que fez o clube acreditar na subida. O jogo acabou por ser “sofrido como os outros”, mas a “realização de um sonho” acabou por se tornar “realidade”.“O apoio dos adeptos foi crescendo com as vitórias” de um “clube histórico que merece a subida”, enfatizou o treinador. Na próxima temporada, Jorge Costa espera “continuar”, mas para isso alerta que é necessário que surjam os “apoios necessários” para “melhorar algumas coisas”. Apesar de afirmar que tem “vontade de continuar”, o treinador deixou um recado: “Se o presidente não tiver vontade, a minha não vale de nada.”E José Isidoro Sousa, presidente do clube, era um dos mais emocionados. Disse ser “difícil descrever a emoção” que sentia e realçou o “trabalho de todos” na promoção do clube. O médio Rui Duarte considerou a subida “sofrida” de um “grupo com qualidade e personalidade”. “Queríamos ser campeões e conseguimos”, concluiu.
Diogo e Francisco



Nenhum comentário:

miau...miau...

Ocorreu um erro neste gadget

National Geographic POD

Endangered Animal of the Day

Ocorreu um erro neste gadget

Direito à imagem

DIREITO À IMAGEM (Artigo 79º)
Artigo 79.º (Direito à imagem)1- O retrato de uma pessoa não pode ser exposto, reproduzido ou lançado no comércio sem o consentimento dela; depois da morte da pessoa retratada, a autorização compete às pessoas designadas no n.º2 do artigo 71.º, segundo a ordem nele indicada.2- Não é necessário o consentimento da pessoa retratada quando assim o justifiquem a sua notoriedade, o cargo que desempenhe, exigências de polícia ou de justiça, finalidades científicas, didácticas ou culturais, ou quando a reprodução da imagem vier enquadrada na de lugares públicos, ou na de factos de interesse público ou que hajam decorrido publicamente.3- O retrato não pode, porém, ser reproduzido, exposto ou lançado no comércio, se do facto resultar prejuízo para a honra, reputação ou simples decoro da pessoa retratada.in
http://www.aacs.pt/legislacao/codigo_civil.htm