segunda-feira, 2 de novembro de 2009

A HORA DO CONTO




HORA DO CONTO

Na quinta-feira à tarde fomos à Biblioteca Álvaro de Campos ouvir um conto.
Nós gostamos muito de o ouvir e por isso vamos recontá-lo.

O RAPAZ QUE TINHA MEDO
Era uma vez um menino que tinha muito medo. Tinha medo de usar as suas calças preferidas às flores, não protestava se lhe passavam à frente na fila e que, durante noite, o papão estivesse debaixo da cama.
Revoltado consigo mesmo por ter tantos medos decidiu ir às páginas amarelas procurar ajuda. Foi então que encontrou numa página “ SOLUCIONAMOS O SEU PROBLEMA, MAS SÓ COM CONSULTA.”
Então decidiu ligar para marcar uma consulta. A senhora que estava ao telefone disse para não ter medo dos animais selvagens e ferozes que encontrasse na floresta.
No dia seguinte foi à consulta e, tal como a árvore lhe disse, não ligou aos animais selvagens e ferozes.
Quando lá chegou viu uma tableta a dizer “ SÓ COM CONSULTA MARCADA E NÃO INCOMODAR À HORA DE ALMOÇO


Um comentário:

cc disse...

Olá
Eu na quinta-feira tive lá na escola um encontro com Alvaro Magalhães. Todos os meninos do 5ª e do 6º puderam fazer perguntas e falar com ele sobre os seus livros. Ele é o autor do "Triângulo J", este foi o que me ficou na mente. Foi muito bom, tão bom que eu também fiquei com vontade de ler os livros dele.
beijos
claudia chaves

miau...miau...

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Endangered Animal of the Day

Ocorreu um erro neste gadget

Direito à imagem

DIREITO À IMAGEM (Artigo 79º)
Artigo 79.º (Direito à imagem)1- O retrato de uma pessoa não pode ser exposto, reproduzido ou lançado no comércio sem o consentimento dela; depois da morte da pessoa retratada, a autorização compete às pessoas designadas no n.º2 do artigo 71.º, segundo a ordem nele indicada.2- Não é necessário o consentimento da pessoa retratada quando assim o justifiquem a sua notoriedade, o cargo que desempenhe, exigências de polícia ou de justiça, finalidades científicas, didácticas ou culturais, ou quando a reprodução da imagem vier enquadrada na de lugares públicos, ou na de factos de interesse público ou que hajam decorrido publicamente.3- O retrato não pode, porém, ser reproduzido, exposto ou lançado no comércio, se do facto resultar prejuízo para a honra, reputação ou simples decoro da pessoa retratada.in
http://www.aacs.pt/legislacao/codigo_civil.htm